LeBron cumpriu a promessa que não fez

Luís Araújo

“Não um, não dois, não três, não quatro, não cinco, não seis, não sete”, disse LeBron James em julho de 2010, no dia em que foi apresentado como jogador do Miami Heat. Era uma referência ao número de títulos que esperava ganhar ao lado de Dwyane Wade e Chris Bosh. “E falo isso porque realmente acredito”, ele ainda completou.

Até aquele momento, a busca dele pelo anel de campeão era uma frustração só. Na única vez em que chegara à final com o Cleveland Cavaliers, não foi capaz de evitar uma varrida do San Antonio Spurs. Depois disso, o time até se fortaleceu ao ponto de estabelecer a melhor campanha da fase de classificação, mas acabou ficando pelo caminho nos playoffs.

Durante as quatro temporadas em que defendeu o Heat, LeBron foi campeão duas vezes e ficou com o vice em outras duas. Passou longe de cumprir a promessa que estabelecera no dia em que chegou a Miami. Em julho de 2014, decidiu fazer o caminho inverso e voltar para casa. Em um texto publicado na Sports Illustrated para comunicar ao mundo a decisão, disse sentir que era a coisa certa a se fazer porque queria tentar dar um título para o povo de Cleveland. A diferença é que desta vez não houve nenhum tipo de compromisso.

“Eu não estou prometendo um título. Sei o quanto é difícil entregar isso. Nós não estamos prontos neste momento. De jeito nenhum. É claro que quero vencer já neste primeiro ano, mas sou realista. Será um processo longo, muito maior do que foi em 2010. Minha paciência será testada. Sei disso”, escreveu LeBron em um trecho da carta.

“Estou me juntando a um grupo jovem e a um técnico novo. Eu serei o velho ali. Mas vou aproveitar tentando unir o elenco e ajudando os jogadores a chegarem em um nível no qual eles não sabiam que poderiam chegar. Vejo-me como um mentor neste momento e estou animado para liderar alguns caras talentosos. Acredito que posso ajudar Kyrie Irving se tornar um dos melhores armadores da liga. Acredito que posso ajudar Tristan Thompson e Dion Waiters evoluírem. E mal posso esperar para me reunir com Anderson Varejão, um dos meus companheiros de equipe favoritos”, completou.

Foi realmente um processo longo. Muita coisa mudou no meio do caminho, incluindo as saídas de Waiters e Varejão. Mas o que aconteceu ao fim destas duas primeiras temporadas desde que voltou ao Cavs? O time foi duas vezes à decisão e ganhou o título no segundo ano. Foi exatamente a mesma coisa que ocorreu em Miami. Talvez as coisas tenham sido um pouco mais turbulentas, com várias trocas de jogadores, demissão de treinador, uma crítica aqui e outra ali a Kevin Love, mas o resultado foi idêntico.

Já seria uma história incrível. Mas a narrativa ganha ainda mais força e até pinta LeBron como um herói se algumas outras coisas forem lembradas. Assim que saiu de Cleveland, o povo reagiu da pior maneira possível. Camisas foram queimadas nas ruas, e uma recepção extremamente hostil aconteceu na primeira visita dele à cidade como atleta do Heat. Mas quando voltou ao Cavs, isso começou a ficar para trás.

“Se você perguntar a 100 pessoas, quatro ou cinco ainda dirão que não o perdoaram, mas a maioria pensa diferente porque sabe que ele representa a melhor chance de a cidade comemorar um título”, disse Brian Windhorst, jornalista da ESPN norte-americana, em um bate-papo com o Triple-Double durante a passagem do Cavs pelo Brasil em outubro de 2014 para o amistoso com o Heat.

“Cleveland é um lugar dos Estados Unidos em que a economia não vai bem. Muitos jovens deixam a cidade para aproveitar outras oportunidades e alguns acabam voltando depois. Então, o que ele fez foi algo que bastante gente também faz. Muitos podem se relacionar a essa situação porque tiveram familiares passando pelo mesmo tipo de coisa. É algo que virou natural para o povo de lá”, afirmou Windhorst mais adiante na conversa.

De fato, LeBron alcançou aquilo que tanto queria quando resolveu sair de Cleveland: um anel de campeão. Depois que conseguiu, decidiu voltar para tentar fazer o mesmo com o time do lugar onde considera sua casa. Não foi uma missão fácil, sua paciência foi realmente testada, da maneira como imaginou que seria — ou até mais. Mas, no fim das contas, chegou lá. Os torcedores do Cavs esperaram a vida inteira pelo momento de soltar o grito de campeão. A história da realização deste sonho não poderia ter sido melhor.

Também não dava para ser com outro protagonista. Tinha que ser LeBron. Aquele que foi embora do pior jeito possível, despertou a ira do seu povo, começou a reconquistar as pessoas quando decidiu voltar e enterrou de vez qualquer hostilidade que ainda poderia existir com esse título. Aquele mesmo que ele tomou todo o cuidado do mundo de não prometer que se concretizaria.

Tags: , ,

COMPARTILHE