Nomes para se ficar de olho no Draft de 2017 – Parte 2

Luís Araújo

A primeira parte do especial já saiu e pode ser encontrada aqui. Depois de apresentar dez jogadores que devem aparecer nas escolhas mais altas do Draft, chegou a vez de listar as características de outros jovens bem cotados para a primeira rodada.


Lauri Markkanen

Posição: ala-pivô
Idade: 20 anos
Altura: 2,13m
Peso: 104kg
De onde vem: Arizona (NCAA)
Comparação no nbadraft.net: Nikola Mirotic/Ryan Anderson
O que dizem sobre ele: um homem de garrafão que tem um tremendo arremesso de longa distância, o que pode ser bastante atraente para a NBA dos dias de hoje. O The Ringer destaca o “ótimo trabalho de pés quando chuta em movimento, o que pode fazê-lo ser explorado a partir de bloqueios, como se fosse um armador”, além de elogiar a habilidade de finalizar de maneira eficiente com as duas mãos quando se encontra perto da cesta. O nbadraft.net ainda observa que Markkanen “tem uma primeira passada muito rápida, que definitivamente é boa o bastante para fazê-lo passar por boa parte dos jogadores da NBA que forem marcá-lo”.

Mas existem dois problemas consideráveis. Um deles é o porte físico, que o impõe uma enorme dificuldade para estabelecer posição perto da cesta — até por isso ele é acionado bastante longe dela. Outra fraqueza dele vem muito a partir disso: a defesa contra gente da sua posição próximo ao garrafão. Adversários mais fortes tendem a encontrar alguma tranquilidade para superá-lo usando o corpo. As coberturas no “pick and roll” também precisam ser corrigidas urgentemente, como observa o The Ringer. Mas o nbadraft.net elogia um aspecto da defesa dele que tem tudo para ser útil na NBA: “Ele faz um ótimo trabalho na hora de dar um passo para frente quando ocorre um bloqueio para pressionar quem está com a bola, uma situação em que ele provavelmente será bastante envolvido em uma liga que tanto usa ‘pick and rolls'”.


Luke Kennard

Posição: ala-armador
Idade: 20 anos
Altura: 1,98m
Peso: 88kg
De onde vem: Duke (NCAA)
Comparação no nbadraft.net: Nik Stauskas/Jeff Hornacek
O que dizem sobre ele: um jogador muito inteligente, de ótimo arremesso, mas de defesa contestável. O nbadraft.net o vê como alguém “capaz de chutar tanto em situações nas quais recebe um passe pronto para finalizar como também a partir de bloqueios”, além de ressaltar a boa visão de quadra e as “habilidades cada vez melhores enquanto criador de jogadas”. O DraftExpress fornece observações ainda mais profundas sobre as qualidades ofensivas dele: “Ele se move sem a bola de maneira inteligente, buscando constantemente nova posição em quadra baseado em onde a bola está e em como a defesa está reagindo, e só precisa de um instante para arremessar graças ao seu disparo super rápido”.

Mas pontuar ao redor do aro passa longe de ser uma virtude, até pela envergadura jogar contra neste sentido. Na defesa, apesar de mostrar alguns bons fundamentos, sofre por causa do deslocamento lateral e pelos braços curtos. De acordo com o nbadraft.net, Kennard “vai precisar estar em um bom sistema defensivo e cercado por marcadores individuais melhores para conseguir ser eficiente neste lado da quadra”.


John Collins

Posição: ala-pivô/pivô
Idade: 19 anos
Altura: 2,06m
Peso: 102kg
De onde vem: Wake Forest (NCAA)
Comparação no nbadraft.net: Chris Wilcox/Damian Jones
O que dizem sobre ele: de acordo com a definição do The Ringer, o pivô tem “poder avançado para pontuar dentro do garrafão, sabe como criar espaço para finalizar, consegue fazer isso com contato e define com as duas mãos.” O bloqueio ainda é algo que precisa melhorar bastante, mas nas vezes em que conseguiu executá-los, mostrou-se excelente para punir rivais mais baixos que apareciam pela frente após as trocas de marcação. A primeira passada também é um ponto elogiado, e as investidas contra as defesas quando tem a bola de frente para a cesta podem ficar bem interessantes se o chute de média distância ficar consistente.

Os rebotes nos dois lados da quadra também são uma força, especialmente no ataque. Os passes são um problema enorme. A visão de quadra de Collins é bem contestável. De qualquer maneira, a principal preocupação sobre ele é a defesa. O DraftExpress observa o seguinte: “Ele pareceu perdido muitas vezes na hora de ler o que estava acontecendo em quadra, o que o levou a permitir cestas atrás de cestas dos adversários. Ele teve dificuldade para se movimentar e continuar em frente um oponente que tentava infiltrações. Também teve dificuldades nas situações em que o jogador que estava marcando cortava para a cesta, e nem sempre lutava o bastante para se recuperar e voltar à sua posição depois que era superado, algo que o afetou durante toda a temporada por Wake Forest.”


Donovan Mitchell

Posição: ala-armador
Idade: 20 anos
Altura: 1,88m
Peso: 95kg
De onde vem: Louisville (NCAA)
Comparação no nbadraft.net: Normal Powell
O que dizem sobre ele: um sujeito que se destaca bastante pela capacidade atlética, de envergadura impressionante e que parece pronto para a NBA sob esse aspecto, mas que é considerado baixo para a posição dois. Por isso, se for mesmo virar um armador depois que um time o selecionar no Draft, algumas coisas precisarão ser desenvolvidas para que ele consiga ter sucesso. Segundo o nbadraft.net, Mitchell “teve alguns bons momentos como organizador de jogadas e comandando o ‘pick and roll’, mas ainda joga rápido demais às vezes, nem sempre lendo corretamente a defesa e fazendo a jogada simples.”

De qualquer maneira, mudando ou não de posição na NBA, a tomada de decisões é um ponto a se evoluir. Em muitos momentos na NCAA, a seleção de arremessos foi um problema. Esse conjunto de virtudes atléticas o transformam em alguém com bom potencial defensivo. Segundo o DraftExpress, “os dois anos sob o comando de Rick Pitino o ajudaram bastante a se transformar em um marcador de múltiplas posições, que pode ser colocado em cima de armadores, alas-armadores e até alas”. A explosão também pode fazê-lo se tornar perigoso em infiltrações, algo que ele não fez tão bem e nem com tanta frequência em nível universitário. E o chute tem uma mecânica elogiável, mas os resultados ainda são inconsistentes.


Justin Patton

Posição: pivô
Idade: 20 anos
Altura: 2,11m
Peso: 104kg
De onde vem: Creighton (NCAA)
Comparação no nbadraft.net: Brendan Haywood
O que dizem sobre ele: um grandalhão ágil, de ótima velocidade lateral e que tem uma capacidade atlética notável para alguém tão alto, mas que ainda é cru e vai levar um tempo para se desenvolver. O nbadraft.net aponta que ele “pode ser uma distração ao redor da cesta na defesa” e é capaz de trocar a marcação após bloqueios e encarar jogadores mais baixos no perímetro, graças a toda essa mobilidade.

Mas ainda faltam fundamentos na defesa para somar a todas essas qualidades físicas. Ofensivamente, o The Ringer até enxerga potencial ofensivo, mas faz ressalta: “Ele é extremamente cru, faz bloqueios frágeis e passes sem precisão, comete desperdícios de posse de bola que poderiam muito bem ser evitados e é um problema nos lances livres.”


Jarrett Allen

Posição: pivô
Idade: 19 anos
Altura: 2,08m
Peso: 106kg
De onde vem: Texas (NCAA)
Comparação no nbadraft.net: Lorenzen Wright
O que dizem sobre ele: é alto, tem boa envergadura e um potencial interessante a partir disso, principalmente para pegar rebotes e para se tornar um protetor de aro eficiente na NBA. “Seus fundamentos são pobres, mas ele é tão comprido e tem tanta mobilidade que pode se tornar uma força neste sentido”, observa o The Ringer. O deslocamento lateral, porém, não passa perto de ser uma virtude, o que tende a prejudicá-lo nas vezes em que for forçado a defender longe da cesta.

No ataque, essas mesmas virtudes podem torná-lo eficiente para finalizar ao redor do aro, sobretudo para completar pontes aéreas e “pick and rolls”. Os chutes de média distância até deram alguns sinais de que podem um dia virar uma arma consistente no jogo dele. De costas para a cesta, mostrou ser capaz de concluir jogadas com ganchos usando as duas mãos. Mas o DraftExpress insiste que há muita coisa a ser evoluída neste lado da quadra com a seguinte observação: “Ele não é tão forte e não apresenta o tipo de atitude necessária para compensar esse tipo de deficiência, fazendo bloqueios molengas e sofrendo demais para finalizar em tráfico quando recebe contato.”


Bam Adebayo

Posição: ala-pivô/pivô
Idade: 19 anos
Altura: 2,08m
Peso: 111kg
De onde vem: Kentucky (NCAA)
Comparação no nbadraft.net: Markieff Morris/Tristan Thompson
O que dizem sobre ele: grandalhão explosivo, cheio de energia, que corre muito bem a quadra, mas que ainda tem um longo caminho para se desenvolver do ponto de vista técnico. “Existem algumas preocupações com relação ao perfil defensivo dele, principalmente com a proteção de aro e com os rebotes. Ele nunca foi um reboteiro defensivo de elite, sempre se virou melhor neste fundamento no ataque”, observa o DraftExpress, que completa o raciocínio com a seguinte observação: “Ele tem a força necessária para controlar o garrafão, mas não é sempre que encontra um corpo para fazer o ‘box-out’ antes de partir para lutar pela bola. Vai precisar melhorar isso para se tornar mais produtivo neste fundamento, área em que ele certamente será requisitado a contribuir mais na NBA.”

A agilidade e o bom deslocamento lateral, no entanto, o tornam alguém capaz de se virar bem quando precisar trocar a marcação e encarar oponentes mais baixos. No ataque, a produção se concentra basicamente ao redor do aro. “Ele vive da criação de arremessos dos outros, seja em cortes para a cesta ou em ‘pick and rolls’, o que o torna uma presença forte dentro do garrafão quando está engajado e ativo na partida. Ele não esteve tão envolvido assim em bloqueios para quem tinha a bola nas mãos, mas com a vontade dele de fazer bloqueios sólidos e o potencial para ser uma ameaça tanto em pontes aéreas quanto girando em direção à cesta, essas jogadas serão grande parte do repertório dele na NBA”, destaca o DraftExpress.


Justin Jackson

Posição: ala
Idade: 22 anos
Altura: 2,03m
Peso: 91kg
De onde vem: North Carolina (NCAA)
Comparação no nbadraft.net: Rod Higgins
O que dizem sobre ele: o The Ringer o define como um “ala que pode facilmente encontrar um papel complementar em qualquer time, mas que precisa mostrar que sua evolução nos arremessos é sustentável”, além de elogiar o Q.I. de basquete, os passes e a capacidade de jogar sem a bola nas mãos. Os chutes de longa distância podem não ser ainda uma especialidade, mas Jackson sabe identificar os espaços necessários para atacar quando acionado e produzir pontos.

Apesar de considerá-lo com boa altura para alguém de sua posição, o DraftExpress observa que Jackson não passa de um atleta mediano para os padrões da NBA. Entretanto, aposta que outras virtudes podem ajudá-lo a contornar isso: “Ele é ótimo para se comunicar na defesa e, com a inteligência que demonstra no ataque, deve encontrar uma maneira de entender os esquemas complexos das defesas da NBA com alguma tranquilidade. Ainda que não seja um marcador implacável no um contra um, pode funcionar bem na defesa sob um ponto de vista coletivo.”


TJ Leaf

Posição: ala-pivô
Idade: 20 anos
Altura: 2,08m
Peso: 102kg
De onde vem: UCLA (NCAA)
Comparação no nbadraft.net: Nick Collison
O que dizem sobre ele: um jogador com qualidades no ataque, mas que precisa ficar mais forte para se manter na NBA. O DraftExpress pontua que ele se beneficiou de ter jogado no ritmo mais acelerado de UCLA e destaca que “Leaf é capaz de pontuar de diversas maneiras, tanto dentro como fora do garrafão, além de ter habilidades únicas no perímetro para alguém do seu tamanho. Ele tem controle de bola o suficiente para pegar o rebote de defesa e puxar o contra-ataque”.

O porte físico magro o atrapalha na hora de finalizar com contato, algo que é considerado um ponto fraco no jogo dele. O The Ringer critica a capacidade de pegar rebotes, a proteção de aro e a cobertura no “pick and roll”. O DraftExpress faz ainda uma outra observação: “Se ele puder chutar de maneira consistente de três e conseguir abrir a quadra no nível da NBA, então isso vai abrir uma série de outras opções ofensivas, já que ele mostrou habilidade para atacar a partir do drible e infiltrar.”


OG Anunoby

Posição: ala/ala-pivô
Idade: 19 anos
Altura: 2,01m
Peso: 106kg
De onde vem: Indiana (NCAA)
Comparação no nbadraft.net: Kevon Looney
O que dizem sobre ele: um defensor versátil, capaz de defender múltiplas posições. Os braços longos e a excelente velocidade lateral o ajudam demais neste sentido. Como bem lembra o DraftExpress, Anunoby muitas vezes foi colocado para marcar armadores, pressionando-os, dando tocos e também agredindo as linhas de passe. Mas também há uma ressalva importante: a de que nem sempre ele joga com o mesmo nível de intensidade.

Todas essas características físicas o tornam uma ameaça no jogo de transição. Mas o arremesso de longe ainda não pode ser considerado bom e as infiltrações muitas vezes são atrapalhadas, como destaca o The Ringer: “Ele precisa ser mais agressivo e se mostrar mais forte com a bola nas mãos quando parte em direção à cesta”.

 

Tags: , , , , , , , , , , ,

COMPARTILHE