O que teria acontecido se Kobe tivesse sido trocado com o Bulls?

Luís Araújo

A carreira de Kobe Bryant como jogador na NBA foi construída totalmente com o uniforme do Los Angeles Lakers. A história, no entanto, passou muito perto de tomar um outro rumo em 2007. Foi uma época em que a ideia de defender uma outra equipe nunca pareceu tão madura para ele.

Após dois anos frustrantes com o Lakers, sem conseguir passar da primeira fase dos playoffs, Kobe pediu para ser trocado às vésperas do início da temporada 2007/08. Queria ir para um lugar onde tivesse chances reais de voltar a ser campeão da NBA. O time de Los Angeles concordou em mandá-lo ao Detroit Pistons, mas ele acionou a cláusula no seu contrato que o permitia vetar ser negociado para onde não tinha o interesse de ir.

“Eu disse para eles que tinha uma lista de times com os quais me sentiria confortável em ser trocado, mas o Pistons não era um deles. Então falei que não. Chicago era minha escolha número um”, Kobe confirmou em entrevista ao Grantland.

O Lakers, então, arquitetou uma troca com o Bulls, que enviaria um pacote envolvendo Luol Deng, Tyrus Thomas, Ben Gordon e Joakim Noah. Mas a transação nunca se confirmou porque Kobe temeu que seu novo time ficaria enfraquecido com a saída de Deng. Depois de tanto tempo, é inevitável não fazer um exercício de imaginação sobre o que teria acontecido se essa troca de fato tivesse sido fechada.

Antes de mais nada, porém, seria necessário lembrar o cenário das partes envolvidas na época. Comandado por Phil Jackson, o Lakers iniciou aquele campeonato com um quinteto inicial formado por Derek Fisher, Kobe Bryant, Luke Walton, Rony Turiaf e Kwame Brown. O banco tinha Jordan Farmar, Javaris Crittenton, Sasha Vujacic, Coby Karl, Maurice Evans, Vladimir Radmanovic, Brian Cook, Chris Mihm e Andrew Bynum. Ainda havia Lamar Odom, que ficou afastado dos primeiros compromissos porque ainda se recuperava de uma cirurgia no ombro.

Já o Bulls costumava ter Kirk Hinrich, Ben Gordon, Luol Deng, Tyrus Thomas e Ben Wallace como titulares. Entre os reservas, o técnico Scott Skiles tinha Chris Duhon, Thabo Sefolosha, Thomas Gardner, Vikhtor Khryapa, Adrian Griffin, Andrés Nocioni, Joe Smith, Joakim Noah e Aaron Gray como opções.

É interessante notar ainda que o Lakers enviou Kwame Brown, Javaris Crittenton e os direitos sobre Marc Gasol ao Memphis Grizzlies no decorrer daquela temporada para contar com Pau Gasol. A movimentação ajudou a equipe californiana a subir de produção e conquistar o Oeste, antes de perder na decisão para o Boston Celtics. Mas o título acabou sendo alcançado nos dois anos seguintes.

Trocas no elenco no meio do caminho também foi um procedimento adotado pelo Bulls, mas em uma situação diferente. O time iniciou a campanha com uma série de derrotas e jamais conseguiu se encontrar. Skiles acabou demitido. Depois, Ben Wallace, Joe Smith e Adrian Griffin foram envolvidos em uma troca com Cleveland Cavaliers e Seattle Supersonics. Em contrapartida, chegaram ao elenco Larry Hughes, Drew Gooden, Cedric Simmons e Shannon Brown. No final das contas, passou longe de conquistar vaga nos playoffs, mas acabou ficando com a primeira escolha no Draft de 2008 — que resultou na adição de Derrick Rose.

Também é válido relembrar que o único prêmio de MVP da carreira de Kobe aconteceu justamente na temporada 2007/08. Se realmente tivesse sido despachado para Chicago em troca de quatro jogadores do Bulls, isso provavelmente não ocorreria.

Sua nova equipe teria um garrafão extremamente enfraquecido e uma rotação bem enxuta. Não apareceria entre as potências da liga, por melhor que ele estivesse jogando na época. Não haveria poder de fogo, por exemplo, para conter o Boston Celtics, que tinha acabado de reunir Paul Pierce, Kevin Garnett e Ray Allen.

O Lakers não contaria com um grande craque no auge da carreira, mas o grupo ficaria um pouco mais homogêneo, com qualidade melhor distribuída em outras posições. Ficaria forte o suficiente para vencer o Oeste, como acabou acontecendo? Não. Até porque o negócio com o Memphis Grizzlies por Pau Gasol dificilmente teria sido concretizado.

Isso significa que o espanhol teria tomado outro rumo. Poderia estar até hoje sem um único título de campeão. Seu irmão mais novo iniciaria os dias na NBA como jogador do Lakers mesmo, atrás de Kwame Brown, Andrew Bynum e, possivelmente, de Joakim Noah na rotação. Não seria titular logo de cara, como acabou sendo em Memphis. Algo que certamente o ajudou a se desenvolver mais rápido ao ponto em que se encontra atualmente. O mesmo vale para Noah.

Phil Jackson sofreria constantes dores de cabeça graças aos contra-ataques puxados por Tyrus Thomas. Luol Deng aceleraria seu crescimento ao trabalhar com um técnico tão competente, ao invés de perder tempo de evolução em Chicago nas mãos de Vinny Del Negro. Ben Gordon teria uma chance de ouro de aprender a dosar um pouco os arremessos para construir uma carreira mais duradoura. Derrick Rose iria para qualquer outro lugar. E Kobe ainda estaria estacionado nos três anéis de campeão.

O veto acabou se mostrando uma decisão acertada para ele.

Tags: , , ,

COMPARTILHE