Prévia da série – Cleveland Cavaliers x Toronto Raptors

Luís Araújo

(2º) Cleveland Cavaliers X Toronto Raptors (3º)

Confronto direto na temporada: 3 a 1 para o Cavaliers
Histórico nos playoffs: o único encontro até hoje foi o da final do Leste de 2016, que teve vitória do Cavs em seis jogos
Curiosidade: a única vez que o Raptors venceu uma série na qual não teve o mando de quadra foi em 2001, quando eliminou o New York Knicks na primeira rodada. Na fase seguinte, foi eliminado pelo Philadelphia 76ers, o mesmo que acabou perdendo o título na decisão para o Los Angeles Lakers, que contava com Tyronn Lue.


Calendário da série

Jogo 1 – 01/05 (segunda) – 20h – em Cleveland
Jogo 2 – 03/05 (quarta) – 20h – em Cleveland
Jogo 3 – 05/05 (sexta) – 20h – em Toronto
Jogo 4 – 07/05 (domingo) – 16h30 – em Toronto
Jogo 5* – 09/05 (terça) – horário a ser definido – em Cleveland
Jogo 6* – 11/05 (quinta) – horário a ser definido – em Toronto
Jogo 7* – 14/05 (domingo) – horário a ser definido – em Cleveland
*Se necessário


Cleveland Cavaliers

Campanha: 51 vitórias e 31 derrotas
Provável time titular: Kyrie Irving, JR Smith, LeBron James, Kevin Love e Tristan Thompson
Técnico: Tyronn Lue
Como chega à semifinal do Leste: varreu o Indiana Pacers na primeira rodada, mas isso não significa que não tenha passado por alguns sustos na série. Os buracos defensivos do time, que tanto despertaram preocupação durante a temporada regular, continuaram aparecendo. Mas a marcação dupla em cima de Paul George quase que o tempo todo deu bons resultados, e o espaçamento ofensivo ruim do Pacers fizeram com que a defesa, vez ou outra, nem parecesse tão ruim assim.

Toronto Raptors

Campanha: 51 vitórias e 31 derrotas
Provável time titular: Kyle Lowry, DeMar DeRozan, Normal Powell, DeMarre Carroll e Serge Ibaka
Técnico: Dwane Casey
Como chega à semifinal do Leste: fez uma série de recuperação contra o Milwaukee Bucks e passou em seis jogos. Nas três primeiras partidas, parecia ser o pior time do confronto. Foram duas derrotas, e a única vitória aconteceu em um duelo no qual as coisas deram certo demais no fim. Mas o cenário mudou radicalmente nas três partidas seguintes, depois que Normal Powell foi promovido a titular no lugar de Jonas Valanciunas, e a equipe canadense acabou levando a melhor em todos esses duelos.


O que merece atenção no duelo

Há séries em que os confrontos diretos entre os times na fase de classificação servem muito pouco como base para a análise sobre o que pode acontecer nos playoffs. Essa é uma delas. Um dos quatro encontros entre Cavs e Raptors foi no último dia da temporada regular, em um jogo no qual LeBron James, Kyrie Irving e Kevin Love foram poupados. Os outros três ocorreram em um intervalo de 40 dias entre o fim de outubro e o início de dezembro, bem antes das chegadas de Serge Ibaka e PJ Tucker a Toronto.

O Cavs, como já foi falado bastante por aqui nas últimas semanas, chegou aos playoffs tendo a defesa como grande ponto de preocupação. Foi uma das piores da NBA em termos de eficiência durante toda a temporada regular, especialmente após o “All-Star Game”. Em que pese a varrida na primeira rodada sobre o Indiana Pacers, dá para dizer que esse problema está longe de estar resolvido e que as desconfianças continuam.

O que deu certo para os atuais campeões na série anterior foi dobrar a marcação em cima de Paul George e obrigar qualquer outro jogador adversário a definir. Coisa que pode não funcionar e se tornar até uma estratégia perigosa contra um sistema ofensivo que tem mais armas.

Durante a temporada regular, o Raptors usou muito pouco as assistências para produzir suas cestas. Na série contra o Milwaukee Bucks, isso ficou bem mais frequente. Foi uma das maneiras que o time encontrou para se virar diante de um oponente que conseguia usar a envergadura e os braços longos dos seus jogadores para atrapalhar na defesa.

De qualquer maneira, trocando mais passes ou não, a equipe canadense conta com ferramentas que podem se aproveitar desta deficiência defensiva do Cavs e forçar o oponente a buscar soluções de maneira que até agora não aconteceu. Os chutes de três de Kyle Lowry após bloqueios e as ações de DeMar DeRozan que frequentemente demandam dobras da marcação, por exemplo, podem perfeitamente expor as dificuldades de comunicação e rotação do sistema de marcação do oponente.

Diante do Bucks, o Raptors se transformou e resolveu a série depois que Norman Powell ganhou uma vaga no quinteto titular no lugar de Jonas Valanciunas, deslocando Serge Ibaka para a posição cinco. Deu tão certo e ampliou tanto o leque do ataque, algo importante para impor problemas a esse Cavs, que faz sentido imaginar essa formação sendo mantida. Mas é claro que esse procedimento pode ser um pouco mais complicado de se botar em prática desta vez. Será que o técnico Dwane Casey vai correr o risco de ver Kevin Love tirando proveito da vantagem de estatura quando cair com a marcação de alguém menor? Essa é uma questão importante a ser observada.

Também será bastante interessante acompanhar o uso de PJ Tucker. Casey pode até pensar em promovê-lo ao time titular, em uma outra alternativa de quinteto inicial mais baixo. Trata-se de um ótimo defensor e que pode acabar se tornando o marcador mais eficiente de LeBron James.

Como acontece sempre com quem vai encarar um time de LeBron, encontrar alguém que possa virar o principal defensor dele e depender o menos possível da ajuda de mais companheiros é fundamental. Isso também vale para quem estiver encarregado de acompanhar Kyrie Irving. Não é segredo para ninguém: os dois se revezarão praticamente o tempo todo na tarefa de ter a bola nas mãos para criar os espaços no ataque a partir de infiltrações, esperando que as ações resultem em um chute com liberdade de um dos seus vários bons chutadores.

Será um desafio importante para o Raptors, que teve uma das defesas mais eficientes da temporada regular. Quanto melhor conseguir se virar diante deste processo, maiores serão as chances de se chegar às vitórias na série.


Palpite

O Cavs vence a série. Ainda restam muitos pontos de preocupação em volta deste time, o Raptors pode até se aproveitar disso e conquistar uma ou duas vitórias na série. Na verdade, dá até para dizer que essa é a maior chance que a equipe canadense tem de eliminar LeBron James e companhia. Mas ainda não parece ser o suficiente para imaginar isso acontecendo.

Tags: , , ,

COMPARTILHE